[ editar artigo]

Você está paralisado pela indecisão?

Você está paralisado pela indecisão?

Nós humanos temos uma capacidade chamada metacognição, que é o poder de pensar sobre o pensamento. Você pode observar o que seu cérebro está pensando e também o que está fazendo com esses pensamentos — os sentimentos, ideias, emoções e impulsos que está produzindo.

Mas essa nossa habilidade cognitiva está enfrentando um hábito moderno muito perigoso. Com mudanças na velocidade da luz e informações ilimitadas ao nosso alcance, estamos optando por usar a tecnologia e não mais nossos neurônios.

Na dúvida sobre alguma informação não recorremos à memória, simplesmente pesquisamos no Google.

E por que isso pode ser tão prejudicial à saúde da nossa mente? Imagine que esse poder de pensar é como o dente do siso.

Você já deve ter ouvido falar que futuramente os dentes do siso irão ser extintos porque perderam sua função e não são mais utilizados. Evolutivamente quando paramos de usar ou se beneficiar de algo, perdemos essa habilidade. Segundo o neurocientista Jerry Bergman, da Northwest State College, o termo científico para isso é vestigial, que se refere a um órgão que foi útil no passado da nossa espécie, mas hoje em dia é quase sem utilidade.

Em 2013, a Escola de Medicina de Harvard criou a frase “use-o ou perca-o”, em uma das pesquisas mais profundas sobre o cérebro. Ficou tão famosa que já foi twitada mais de um milhão de vezes.

Se não estivermos usando nossos cérebros, se não nos engajarmos em processos dedutivos ou lógicos, podemos perder a capacidade cognitiva. Pelo menos é o que diz o uma pesquisa da Universidade de Aberdeen, publicada no British Medical Journal, numa pesquisa super bacana de 2018. A resposta é clara. Manter um cérebro ativo em atividades de resolução de problemas pode melhorar a performance cognitiva na nossa velhice.

Mas não é só o cognitivo que se beneficia não, acredite se quiser, mas a felicidade, também mora no cabeção. Paul Ekman, Richard Davidson, Matthieu Ricard e Alan Wallace, os pesquisadores do Instituto Mind & Life, que mais pesquisaram a felicidade até hoje, afirmam que a verdadeira felicidade está baseada em como percebemos a realidade. Uma mente equilibrada e ciente tanto dos seus próprios vieses quanto da natureza ao seu redor sustenta uma felicidade genuína dentro de nós.

Para eles, nosso objetivo não deveria ser negar esses truques do nosso cérebro ou ignorar os sentimentos negativos, mas sim identificar o que está acontecendo em nossos pensamentos e perceber como eles influenciam a nós mesmos, nossas relações e nossa visão de mundo. Isso nos ajuda a ter uma vida de acordo com nossos valores, ao invés de sermos controlados pelos nossos medos.

Você pode treinar seu cérebro para tomar melhores decisões que estejam alinhadas com seus objetivos. Decisões claras sempre começam com uma mente clara. A autoconsciência possui um imenso poder terapêutico.

A mudança não acontecerá da noite para o dia, mas conforme você direciona conscientemente sua mente para se concentrar no que deseja, em vez de repetir os erros do passado, você começará a tomar decisões melhores que o levarão a plenitude.

A ideia de resultado fácil e rápido é uma distorção da realidade e um erro para quem quer realmente uma transformação perece.

Quem descobriu essa tendência na formação de hábitos foi o Dr Maxwell Maltz, quando descreveu que leva, em média, 21 dias para a nossa mente começar a considerar algo “novo” como sendo normal. Depois disso, tem um outro período até o que o hábito se transforme em algo corriqueiro e a gente consiga fazer sem pensar muito. Uma pesquisa da University College London mostra que leva uma média de 66 dias até um hábito ser incorporado no nosso dia a dia, e existem outros pesquisadores, acreditam ainda que precisamos de 40 dias ao invés de 66.

Isso acontece porque o nosso cérebro precisa de um tempo para se ajustar a algo novo, seja um comportamento, uma relação, um emprego ou qualquer elemento novo no ambiente. Depois desse período, aquilo passa a ser considerado parte da rotina e é incorporado pela nossa percepção.

Quando você tem autoconsciência e entende suas emoções, antes de enfrentar o mundo lá fora, você se liberta de distrações, decisões erradas e camadas de incertezas avassaladoras.

Você pode começar a ter de volta a vida nas suas mãos. Sonhar e realizar a vida que deseja. Eu poderia esticar este assunto aqui, porque adoro escrever, mas escolhi fazer um vídeo para você.

Se você quiser se aprofundar é só me seguir aqui.

Se quiser receber dicas práticas e insights que podem te ajudar a desenvolver sua produtividade sem perder a saúde e conhecer mais o Biohacking raiz, me siga nas redes sociais em @flavialippi.

Entre também no nosso grupo do Telegram: https://t.me/aequacao

 

Comunidade Marketing de Gentileza
Flávia Lippi
Flávia Lippi Seguir

Abraçadora profissional, apaixonada por gente. Tive tantos negócios que me apelidaram de startup humana. Tecnologia corre que nem sangue nas minhas veias. Me dedico a otimizar os potenciais humanos para que se tornem líderes inspiradores.

Ler conteúdo completo
Indicados para você