[ editar artigo]

Turbinando o teatro online: 4 dicas preciosas

Turbinando o teatro online: 4 dicas preciosas

Venho de uma família de artistas. Nossa, nem sei quantas vezes já repeti essa frase - porque somos 7 irmãs e irmãos da mesma mãe, e só eu não tiro meu sustento das artes. Logo no início do período de isolamento social, liguei logo para dois dos meus irmãos perguntando "e aí, já planejou alguma coisa?". 

O setor de artes e cultura foi o primeiro a ser arrebatado pela crise econômica que se desdobrou da crise sanitária. Basicamente, eles promovem aglomeração de pessoas. E sem uma estrutura mínima para o amparo de trabalhadores das artes e cultura, o jeito foi se reinventar. 

Ouvi da amiga Ana Luíza Bellacosta, atriz e palhaça de Brasília, que o pessoal do teatro teve que evoluir 20 anos em 2 meses. Ela se referia às adaptações de peças teatrais, apresentações de circo e dança para os espaços virtuais. Meu irmão Abaetê Queiroz, ator, professor e diretor de teatro, se lançou à pesquisa de plataformas, plug-insadd-onsgadgets e metodologias para que a imagem, a voz, o som dos atores e atrizes pudessem chegar ao público com a melhor qualidade possível, sem delay. Tá dando certo! Nem parece que não estamos no teatro!

Outro irmão, o multitalentoso (e pai do Raul) Cae Maia, descobriu uma nova profissão: operador de spotlight em festas virtuais pelo Zoom. Ele é quem fica olhando as telas de todo mundo e escolhendo quem vai para o destaque da festa - o que dá dinamismo e a sensação de realmente estar interagindo com outras pessoas numa festa. Desde abril, ele já tem feito milagres e misérias com filtros, edições, máscaras e tais. E eu não perco uma edição da festa, desde que começaram. 

Como profissional de comunicação e campanhas que se dedica à mobilização de pessoas, não pude deixar de notar algumas dificuldades na transição da produção presencial para o digital. Naturalmente, quem está produzindo uma peça de teatro não está pensando em como as pessoas se comportam na web. Mas eu já venho pensando sobre isso há tempos, e agora vejo uma oportunidade de compartilhar algumas dicas preciosas para o pessoal do teatro online! 

Porque acredito muito nos sonhos, e se organizar direitinho, todo mundo realiza.


1 — O WhatsApp pode ser o maior aliado, ou o vilão

Nunca imaginamos que o WhatsApp teria tanto espaço nos nossos dias de confinamento. Mas tem, e é rei. Todo tipo de informação chega pela telinha, e conseguimos manter contato com as pessoas amadas. Para disputar a atenção de quem você quer atrair, seu conteúdo precisa ser pragmático e objetivo, além de facilmente legível. Prefira textos curtos contendo toda a informação do seu evento, e prefira cards ou fotos ao envio de vídeos e áudios. Observe se sua mensagem vai gerar aquele "ler mais...", e se for o caso, corte, corte, corte. 

Se tiver e puder, envie também uma foto ou um card bem chamativo e com o mínimo possível de texto. Lembre-se de enviar a imagem separada do texto, pois isso facilita o encaminhamento. E queremos que o Respeitável Público traga mais gente, sempre!


2 — Não deixe seu público se perder pela web

A maioria dos espetáculos online ao vivo têm ocorrido no YouTube, ou em plataformas que incorporam um quadro do YouTube nos seus sites e afins. Pelo aplicativo Zoom, é possível programar uma transmissão e já gerar o link específico da transmissão - como nas grandes lives dos cantores sertanejos, da Alcione, Milton Nascimento... Você recebe o link, chega na "sala de espetáculo" e tem um anúncio na tela com um contador regressivo dizendo quanto tempo falta para começar. Veja como aparece na tela:

É o melhor dos mundos. A transmissão simplesmente começa, sem que a pessoa tenha que ficar dando refresh na tela. 

Mas se você não consegue fazer isso, tenha consideração com seu público, e forneça o link que leve as pessoas o mais próximo possível da sua "sala de espetáculos". Evite peremptoriamente

  1. Convites sem link
  2. Link para um portal, site, página de Facebook...
  3. Um áudio dizendo onde vai ser
  4. Um vídeo seu dizendo "procura a gente em tal lugar"
  5. Qualquer coisa que não seja clicável

E eu explico: o marketing na internet é alimentado pelo que o Google chama de "micromomentos". Aquele anúncio que você não daria atenção, mas que de repente, procurando alguma outra coisa, aparece pra você e PIMBA! Seu público foi parar em algum lugar tão, tão distante da sua sala de apresentação. A regra de ouro é: quanto menos cliques, melhor.


3 — Fidelize seu público e faça-o se sentir importante

Nem todos os grupos estão cobrando ingressos para as apresentações. E com a saturação do fenômeno das lives, muitos têm visto seu público diminuir com o tempo. O WhatsApp é uma boa ferramenta, mas o velho e bom e-mail ainda tem o seu lugar. Criar uma conta do grupo no Sympla ou Eventbrite, por exemplo, te ajuda a ter uma noção de quantas pessoas têm interesse no seu espetáculo, e te dá o petróleo dos tempos atuais: listas de contato. 

Com uma conta gratuita em clientes de e-mail marketing como o MailChimp, por exemplo, é possível criar jornadas de engajamento e/ou disparar e-mails automáticos para todo mundo que já se inscreveu um dia, anunciando seu próximo espetáculo. Além disso, você pode compartilhar conteúdos exclusivos, como fotos, vídeos de making-of, o programa da peça e o que mais você tiver para oferecer. 


4- Use a imaginação para monetizar

Como as lives, as campanhas de arrecadação coletiva (crowdfunding) também estão atingindo o ponto de saturação. Mas fã que é fã, gosta de ter uma lembrança do seu artista, grupo ou peça favorita em casa. Aposte na produção de camisetas, canecas e ecobags, e monetize com isso. Diversas gráficas e empresas de brindes estão fazendo também a logística de envio diretamente para o cliente. De quebra, você ainda fortalece o seu próprio marketing. 

25 sacolas ecobag personalizadas 25x30


Essas são algumas dicas, e eu espero que ajude meus queridos e queridas da cultura. À primeira vista, tudo isso pode parecer muito complicado para quem tem maior intimidade com os palcos do que com as máquinas. Se precisar de ajuda, pode me chamar - ou procurar algum/a profissional de comunicação digital para te dar uns toques mais práticos. 

E talvez você tenha alguma outra dica para compartilhar com nosso povo da cultura, que está cortando um dobrado para manter as contas em dia nessa pandemia. Não perca tempo, e coloque aqui nos comentários! 

 

Imagens:

Capa: Osdramátikos (DF) estão em temporada online de leituras dramáicas via Zoom

WhatsApp: print de mensagem pessoal da autora

YouTube: reprodução do canal SescSP, show do Péricles Cavalcanti em 14/8/20

Ecobag: reprodução, Mercado Livre

 

Comunidade Marketing de Gentileza
Jandira Queiroz
Jandira Queiroz Seguir

Jandira Queiroz é estrategista em construção e gestão de movimento. Organizadora de sonhos para a construção de um mundo melhor para viver e amar.

Ler conteúdo completo
Indicados para você