[ editar artigo]

Sobre transformar crises em oportunidades

Sobre transformar crises em oportunidades

Como eu sempre digo, os conteúdos mais atrativos são os baseados em histórias autênticas e reais. Vou contar um pouquinho da minha história recente, de como vim morar no litoral e por que resolvi que iria fortalecer meu marketing pessoal definitivamente nas redes sociais, sobretudo no Linkedin.  

Eu tenho um certo peso na consciência de ter pedido com muita veemência para que alguma coisa acontecesse, que me desse a chance de me mudar de onde estava morando em São Paulo. E aí…... veio a pandemia! 

Há uns 2 anos e meio, entreguei o apartamento em que morava em São Paulo, no Bixiga, por conta de uma golden retriever que entrou na minha vida sem eu planejar. O apartamento tinha 32 metros quadrados (sim, era minúsculo), mas muito bem localizado e só para uma pessoa que viajava todos os fins de semana estava ótimo. 

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

 

Quando a Madonna, minha dog, entrou no meu apartamento (parecia um puff de tão peluda e fofinha). Ela iria passar uns meses no João Passalaqua, nome do prédio que eu morava, até tomar todas as vacinas, ela chegou com 45 dias de vida e o plano era ficar 3 meses. Depois de liberada ele iria morar no sítio da minha companheira que fica em Piedade, SP.

Foto: primeiro passeio no Ibirapuera na mochila da mamãe a gente nunca esquece.

Não preciso dizer que me apaixonei e comecei a sabotar a ida dela para o sítio. Mas a cachorra não parava de crescer e, no ap de 32 metros quadrados, ficou inviável manter uma golden, principalmente para ficar sozinha durante horas. Na época, eu ainda não trabalhava em home office. 

A real foi que eu fui morar na casa da minha sogra porque tinha espaço e era por um período de, no máximo, um ano. Acontece que, no meio desse caminho, tinha uma pedra rsrs… estávamos construindo uma casa no litoral norte de São Paulo e, por isso, o sonho de uma casa conjunta em SP foi adiado. 

A mudança para o litoral

Estou há quase 10 anos em São Paulo, sou mineira de Belo Horizonte e me mudei para a metrópole por oportunidades na área de jornalismo, que eram muito escassas em BH. 

E veio a pandemia. A Rê, que é executiva do mercado de TI, teve finalmente a oportunidade de trabalhar home office, e eu já estava há uns 2 anos nesse formato, desde que assumi que a Inbox Conteúdo seria uma agência de conteúdo digital e,  embora usasse coworkings, tanto fazia o local de trabalho, desde que tivesse uma boa internet. 

Isso tudo pra dizer que desde que começou o isolamento social forçado, o melhor formato de moradia passou a ser a casinha no litoral, mais seguro e agradável, além de ser um lugar só nosso, do nosso jeito e com bastante espaço para a Madonna. 

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Estou morando há 8 meses no sertão de Cambury (os paulistas chamam de sertão o lado contrário à praia). A estrada que corta o litoral divide a praia do sertão; de um lado fica a praia e, do outro lado da estrada, o sertão. A gente ama, porque, além de estar a 4km de uma das praias mais lindas do litoral norte, o sertão nos reserva paisagens exuberantes, repleto de verde, rios e cachoeiras.

*Foto: o passeio preferido da Madonna é nadar no rio que corta o Sertão.

Eu sempre quis trabalhar da praia, mas achava que ainda era um sonho distante. Há mais de 4 anos, desde que a casinha de praia ficou pronta, a gente descia quase todos os fins de semana de São Paulo pra cá, era o que dava. E sempre ficava aquele gostinho de quero mais.  

Era aquela corrida maluca contra o trânsito de quem só podia viajar nos fins de semana, e eu sempre falava que gostaria de ficar mais tempo por aqui, mas era impossível, pela quantidade de compromissos e visitas a clientes, que ainda eram presenciais em SP.

Quanto à Rê, nem se fala; se meus horários ainda eram mais flexíveis, os dela eram engessados, típicos do mundo corporativo, quando se tem hora pra começar mas não pra sair.

Produzir conteúdos próprios tem mudado a minha vida 

Logo no início da pandemia, eu tive 70% dos meus contratos cancelados. Nessa época meu faturamento dependia de contas PJ (empresas), e todas elas começaram a cortar verbas de marketing por conta das incertezas quanto ao futuro. Além disso, eu tinha uma colaboradora para pagar e, embora ela trabalhasse por job, era a única renda dela também e não quis deixá-la na mão. 

Eu tinha que pensar em algo rápido, que reinventasse o meu negócio, e foi aí que tive a feliz ideia de colocar em prática dois desejos antigos de uma só vez: produzir conteúdos para o meu próprio perfil e ajudar as pessoas a desbloquearem seus conteúdos no Linkedin, por meio de marketing de conteúdo autêntico e estratégico

Como usar o Linkedin para fortalecer seu marketing pessoal 

Tenha um perfil muito bem montado - Ter um perfil bem montado e todo preenchido com informações verdadeiras e concretas é fundamental. Diferentemente de outras redes, ter um perfil bem completo no Linkedin pode fazer toda a diferença, afinal ele é o seu cartão de visitas. Isso porque o que você conta nele, além de inserir palavras-chaves relacionadas a seus objetivos e propósito, é o que vai te ajudar a ser encontrado e por leads qualificados conforme as suas pretensões. 

De nada adianta o tal do "perfil campeão" sem promover interações e relacionamentos. Comece contando sua história profissional de forma leve e autêntica, o que é muito diferente de fazer control C e control V no seu currículo.

No Linkedin quanto mais autêntica for a forma como você descreve suas qualificações e até seus hobbies, mais você pode instigar pessoas e recrutadores a interagir com seu perfil. 

A cultura do conteúdo e da pauta - De nada adianta publicar somente por hobbie ou vaidade. Tenha um objetivo claro e tente planejar com certa antecedência suas publicações. Reserve um tempo na semana ou no mês para planejar suas pautas. Primeiro coloque-as no papel e depois desenvolva cada uma delas, até que se tornem rotina no seu cotidiano. 

Quanto mais você pensa em pautas, mais naturalmente elas surgem e passam a fazer parte do seu cotidiano.

"As pautas simplesmente começam a surgir com a prática, parece até algo espiritual", como disse uma mentorada que hoje publica muitos conteúdos incríveis por aqui.

Portanto, anote qualquer ideia ou insight, em seguida transforme as anotações prévias em roteiro e defina um cronograma de publicações. Eu uso o Asana para organização, planejamento de pautas e publicações e o Evernote para anotá-las e desenvolver os conteúdos. 

Saiba onde quer chegar - Sempre falo sobre isso aqui, afinal, não existe resultado com conteúdo digital sem que você saiba aonde quer chegar. Partindo dessa premissa, planejamento e objetivos claros devem estar sempre em primeiro lugar. 

Minha produção de conteúdo, por exemplo, atualmente é baseada em três pilares: mentoria para produção de conteúdo e divulgação de meus serviços como escritora para terceiros; o que acontece de real time marketing (minhas lives, webinars, projetos com parceiros e meu cotidiano profissional em geral); e um pouco das minhas paixões, hobbies e visão de mundo. 

Não tenha medo de errar - Ninguém vai ver seus primeiros posts, porque a grande maioria deles é apenas teste e, no começo, você ainda não criou meios de estimular interações com suas conexões. Isso só começa a acontecer quando você cria um ritmo de publicações e, além disso, o feito é melhor que o não feito.

Portanto, aperte o play e simplesmente comece a publicar. Em cada post você vai descobrindo o que funciona mais, até achar seu tom de voz e a melhor disposição dos textos.  

Eu abri novos horários para mentoria em novembro, mas normalmente não uso todas as minhas horas de trabalho com mentorias; portanto, as vagas são poucas e "graças ao que você pede" estão sendo preenchidas rapidamente.

E foi tomando muito cuidado com o que eu pedia que cheguei até aqui

Hoje faço muito mais exercícios do que estava fazendo em São Paulo, estou tentando ter hábitos alimentares melhores, me sinto bem mais feliz com meus caminhos profissionais e tenho mais tempo para investir em novos projetos. E, quando uma coisa está indo bem na vida, tudo se transforma para melhor, não é mesmo?

É uma coisa gostosa celebrar cada simples realização e dar valor às pequenas conquistas. Não poderia ser diferente, sou uma otimista incorrigível!  

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

No mais, estou amando essa vibe de ciclista (tenho pedalado 200Km por mês, uma média de 10Km por dia)! :D

Inclusive está aqui o histórico do road bike, app que uso para medir minha quilometragem e que não me deixa mentir, com dados colhidos até o dia 26 de outubro! 

E ainda sou cozinheira, mãe de dog e escritora nas horas vagas. Se me perguntar se tenho saudades de alguma coisa em São Paulo, a única coisa que me vem à mente é de ir ao cinema. Mas, como as salas ainda não reabriram, estou controlando o vício de boa rsrs. 

Ah, e saudade, claro, de alguns bons amigos que fiz em São Paulo. 

E por falar em filme e em cinefilia, vou deixar uma frase do final do filme "3 formas de amar", que é bem antigo, mas que me marcou muito. Ele fala exatamente sobre coisas inusitadas que acontecem na nossa vida, mesmo quando planejamos tudo certinho, e que acabam sendo a melhor parte de tudo. 

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Me conta se já aconteceu alguma coisa muito inesperada com você e que, no fim, te levou a realização de algum sonho?  

Se está gostando dos artigos, te convido a assinar a newsletter Vivendo de conteúdo, publicada diretamente no Linkedin, para continuar recebendo os textos em primeira mão. 

Te convido a me acompanhar no Instagram: @flage_ 

Uma bjo pra essa gente linda do MDG e até o próximo artigo!

 

 

 

Comunidade Marketing de Gentileza
Fernanda Lage
Fernanda Lage Seguir

Jornalista apaixonada por marketing de conteúdo, escrita criativa e storytelling; fundadora da inbox Conteúdo. Ajudo as pessoas a desbloquearem seus conteúdos digitais e a desenvolver o seu marketing pessoal!

Ler conteúdo completo
Indicados para você