[ editar artigo]

O que aprendemos com a Geração Z e os Millennials?

O que aprendemos com a Geração Z e os Millennials?

Na última semana, presenciamos um debate muito interessante (e até divertido) sobre as diferenças nos hábitos de consumo entre a Geração Z e Millennials e o que as duas gerações consideravam cringe, ou seja, uma vergonha alheia ou atitude ultrapassada.

Apesar de todas as diferenças que tais gerações têm — desde o que comem, como se vestem até a forma de comunicar — acredito que há uma coisa muito importante em comum: todos anseiam e valorizam marcas com propósito e cada vez mais interessadas em transformar o mundo positivamente.

Se considerarmos pessoas nascidas entre 1980 e 1994 como Millennials, e pessoas nascidas entre 1995 até 2010 (olha eu aqui!), podemos perceber o imenso impacto que pessoas nessas faixas etárias possuem nas ações de marketing e posicionamento das marcas. De acordo com a Business Insider, somente a Geração Z corresponde a 40% dos consumidores globais em 2020.

Ok, mas o que isso tudo quer dizer?

Significa que nós, consumidores, estamos cada vez mais exigentes que as marcas desempenhem um papel significativo em nossas vidas, indo além de apenas oferecer produtos e serviços. Queremos nos identificar com seus colaboradores, suas histórias e seus valores.

Logo, percebemos que o elemento mais forte no comportamento das duas gerações é a busca por engajamento com propostas e causas que tenham a ver com suas expectativas e visão sobre estilo de vida.

De questões ligadas à sustentabilidade, mundo mais verde, consumo consciente, veganismo e não testagem de produtos em animais até as questões políticas mais “frágeis”, é crescente o alinhamento de ambas com movimentos que transmitem um posicionamento coerente com tais causas.

A verdade é que nos sentimos muito mais estimulados em interagir com marcas cada vez mais humanas e que se posicionam de forma autêntica.

Por isso, te digo: o seu negócio precisa ter uma comunicação voltada para o consumidor SIM! E adivinha como alcançá-lo?

Os meios digitais estão disponíveis para te ajudar nessa missão! Use e abuse das ferramentas de interação como enquetes, caixa de perguntas, comentários e outras para conhecer as dores, desejos, sonhos, angústias e aspirações das pessoas e possíveis clientes.

Não precisa inventar mil questões mirabolantes do nada, ok? Muitas vezes, a simplicidade é o melhor caminho. Tire um tempo para olhar internamente para sua marca pessoal ou negócio, e reflita sobre o que mais importa para você, além do lucro.

Depois, olhe para o externo: o que as pessoas que acompanham meu negócio aspiram e desejam? Mostre seu interesse em escutá-las e dar voz. É a partir dessa escuta ativa que a sua marca vai começar a construir uma cultura com propósito.

Pode ser um desafio, mas todo mundo tem uma coisa única e que pode ser explorada de forma genuína e verdadeira. 😉

Agora, me conta: o que você gostaria de explorar e comunicar como essência da sua marca?

Comunidade Marketing de Gentileza
Luiza Mose
Luiza Mose Seguir

Entusiasta da vida e publicitária curiosa. Sou estudante de Publicidade e Propaganda na UFRJ e estagiária de Marketing Digital aqui no Marketing de Gentileza! Acredito que a colaboração é a melhor forma de construir um mundo mais humano. Bora?

Ler conteúdo completo
Indicados para você