[ editar artigo]

O consumo na geração covid e 3 dicas para cultivar práticas de um consumo mais responsável com sua audiência

O consumo na geração covid e 3 dicas para cultivar práticas de um consumo mais responsável com sua audiência

 

Responde sinceramente: se você descobrisse que a sua marca preferida, aquela que você faz consumo há anos e ama, explora o trabalho escravo como mão de obra, você continuaria consumindo dela?

Creio que a resposta seja não. Isso porque o comportamento dos consumidores mudou e nos últimos doze meses a pandemia acelerou ainda mais essa transformação, forçando a maioria dos consumidores a ter novas experiências com marcas, produtos, serviços e canais. As crenças foram transformadas.

 

Muitos consumidores já tomaram consciência de que o ato de consumir impacta a sociedade e o ambiente, além da própria vida. Antes, comprar de uma determinada marca era sinônimo de status, hoje, antes de comprá-la, o consumidor se informa sobre os seus processos de produção.

 

É muito simples: se um negócio não cultivar valores como o respeito aos direitos humanos e à sustentabilidade ambiental, ele perde a força e os clientes. 

 

O uso de trabalho escravo, trabalho infantil, extração de matéria-prima sem a revitalização da fonte, descarte de materiais sem o devido cuidado são exemplos de práticas com as quais esse novo perfil de consumidor está mais atento antes de comprar.

 

Estamos vivendo o início de um novo momento de consumo: o mundo pós-pandemia. Para entender o consumidor e ser relevante para ele, você precisa entender o que o motiva a consumir e estar presente com soluções onde, como e quando o cliente quiser.

 

Não é uma tarefa simples, mas é possível para empresas que tiverem uma mentalidade focada no consumidor e em suas necessidades. Daí elegi 3 dicas para que as marcas cultivarem praticas que estimulem um consumo mais responsável e alinhadas ao novo perfil da sua audiência:

 

1 - Clareza de Informação - informando o máximo possível, ou seja, como o produto é feito, a origem da sua matéria-prima, como são tratadas as pessoas envolvidas em toda sua cadeia de valor.

 

2 - Slow content - promovendo um conteúdo duradouro e consistente, que não nasce e morre com as tendências de consumo, nem com a velocidade da internet. Sendo, portanto, propositivo, ininterrupto e multiplataforma. 

 

3 - Seriedade - as informações divulgadas precisam ser pautadas em seriedade, coesão e pesquisas. Ou seja, não dá pra falar de sustentabilidade quando a marca não está verdadeiramente mudando (ou tentando mudar) suas práticas.

 

Leva-se muito tempo para construir a reputação de uma marca, no entanto, basta um deslize para que tudo vá por água abaixo!

Comunidade Marketing de Gentileza
Mariana Uchôa
Mariana Uchôa Seguir

Olá, sou a Mari e acredito que valorizar as pessoas é construir um mundo mais sustentável. 👩🏻‍💻 Executiva Social 👩🏻‍🎓 Psicóloga 🤝 Especialista em Terceiro Setor 🌎 Consultora em Responsabilidade Social e Negócios de Impacto

Ler conteúdo completo
Indicados para você