[ editar artigo]

"Aqui, na comunidade, podemos relaxar - estamos seguros, não há perigos ocultos em cantos escuros”

Uma sociedade mais gentil, empática e coletiva. Acredito que esse seja o aprendizado que pandemias devem proporcionar, e tenho valorizado cada vez mais o poder das escolhas conscientes em benefício de um todo e o poder do olhar de abundância para seguir a vida com mais propósito. Somente com boas virtudes vamos vencer os desafios que dia após dia nos deparamos. Apenas com  atuação em comunidade será possível ter um sistema fortalecido. Mas como, se o contato com outras pessoas pode ser um risco nesse momento de Coronavírus? 

Diferentes maneiras estão sendo apresentadas… As transformações digitais estão ai, evidenciando formatos e alternativas de cenários para seguirmos em comunidade, mesmo que não seja como estávamos acostumados. O mais importante é que o sentido maior e as similares sensações que viver em comunidade porporciona seguem resistindo.

Lives, campanhas de crowdfunding, fãs financiadores, marcas solidárias com uma causa, grupos de telegram, ofertas de e-Books de qualidade sem custo, webinários com grandes profissionais gratuitos, novas plataformas sociais… A comunicação e o marketing contribuindo, e muito, para mantermos a comunidade nesse lugar “cálido, confortável e aconchegante”, definido pelo sociólogo Zygmunt Bauman.

 

“Comunidade é como um teto sob o qual nos abrigamos da chuva pesada, como uma lareira diante da qual esquentamos as mãos num dia gelado. Lá fora, na rua, toda sorte de perigo está à espreita; temos que estar alertas quando saímos, prestar atenção com quem falamos e a quem nos fala, estar de prontidão a cada minuto. Aqui, na comunidade, podemos relaxar - estamos seguros, não há perigos ocultos em cantos escuros”. Livro Comunidade: a busca por segurança no mundo atual - Bauman.

 

O poder das escolhas conscientes

Está nas nossas mãos - e de mais ninguém - celebrar o poder de optar pelo que ajuda ou não outra pessoa, entre o que inspira e ilumina ou o que limita as energias. Não é simples, e sim uma constante vontade de estar em aprendizado, movimento e sendo útil.

Ao produzir ou expressar ideias no ambiente virtual, usufruindo dessa possibilidade de estar em contato e construindo a sua comunidade, é válido considerar a lei da abundância, para compartilhar e ao mesmo tempo auxiliar, não impor status, tendências ou apenas vender. Assim, pode ser possível descobrir um mundo de pessoas e oportunidades em sintonia com o nosso propósito. Conquistar uma identificação genuína.

 

“Não obriguem as pessoas a pagar pela música. Deixem-nas pagar”, disse a artista americana Amanda Palmer.

 

Em sua participação no TED, sobre A arte de pedir -  nome também de seu livro - ela mostra como o simples ato de pedir às pessoas a fez conquistar uma conexão com elas. “E quando conseguimos uma ligação com as pessoas, elas querem ajudar-nos". É simplesmente um senso de troca e de comunidade inspirador, revela que é possível encontrar possibilidades confortáveis de sermos autênticos - alguns podem até não gostar, mas o movimento é seu e de quem se identificar. 

Amanda surpreende o mundo ao mostrar a sua vulnerabilidade, se posicionar acreditando nas suas verdades e por propagar que pedir ajuda, dinheiro e amor pode ser feito e visto com a mesma naturalidade com que se pede um lanche por aplicativo. Pedir, e não estou aqui falando sobre esmola, é digno e necessário, pois é a conexão entre quem dá e quem recebe que enriquece a vida humana. A grande sacada é usar a criatividade e os nossos valores para entregar com generosidade, e ter assim muitos pedidos aceitos.

De forma alguma é errado fazer marketing, mas é da responsabilidade de cada um realizar de uma forma verdadeira, alinhado com virtudes e gentil. Assim como é individual a parcela nas soluções para uma sociedade mais próspera, que consuma de maneira consciente, priorize uma comunicação não violenta e expressões feitas com essência e respeito ao ritmo próprio e ao próximo.

A inspiração para esse artigo veio do convite de participar da Comunidade MDG, para expressar ideias e experiências sobre como tornar o mundo digital mais humanizado. Ser uma colaboradora de conteúdo GentiLover é uma possibilidade de estar em uma comunidade on-line em sintonia com o que acredito. 

Convido você a fazer parte desse movimento deixando uma mensagem aqui nos comentários sobre o que achou do que compartilhei e se tornando um contribuidor  GentiLover  <3 dessa rede social sobre marketing e negócios humanizados.

Comunidade Marketing de Gentileza
Rhaiane Sodré
Rhaiane Sodré Seguir

Sensível saltitante pelo mundo, jornalista, publicitária e criadora do movimento Comunicando Virtudes. Apaixonada pelo marketing consciente, valorizo essência, verdade, gentileza e o respeito pelo ritmo de cada um. #ComunicandoVirtudes

Ler conteúdo completo
Indicados para você