[ editar artigo]

Humanização de Marca: não seja uma família Doriana!

Humanização de Marca: não seja uma família Doriana!

 

Já ouviu falar na família Doriana?⁣

O conceito surgiu nos anos 90 onde uma família perfeita (papai, mamãe e filhinhos) sentavam-se à mesa para tomar o café da manhã 👨‍👩‍👧‍👦



Mas que diacho tem a ver? ⁣

A humanização de marca está passando beeeeeeem longe do que SER humano realmente significa. Para entendermos o que é humanizar, precisamos entrar na criação da Brand Persona (personificação da marca) que está cada vez mais próximo do imaginário, do que da realidade.⁣

Seres humanos são imperfeitos, erramos e somos contraditórios a todo momento. Baseado nisso como que se cria marcas humanizadas sem defeitos, medos, dores que fazem de nós humanos?!⁣

E é aí que muita gente peca, pois, ao criar um branding estruturalmente perfeito e zero  defeitos não conseguem gerar identificação com o outro — o consumidor. ⁣

Como assim?

O perfeito está longe do que realmente é a nossa vida, quando erramos, passamos por perrengues, nos posicionamos e mostramos que independente de qualquer coisa podemos errar, pois, não somos perfeitos, nos aproximamos do que a vida de fato é. Por isso que pessoas "pombo" — gente que não tem opinião pra nada, zero defeitos — são tão chatas, porque são irreais, logo, quando vamos para o universo da marca, devemos levar esse conceito conosco. 

Se a marca fosse uma pessoa, quem ela seria? Quais seriam os defeitos, as qualidades e como ela se posicionaria?

Construindo a Brand Persona


Estruture a sua Brand Persona seguindo essa linha 👇⁣

⭐Nome e sobrenome ⁣
⭐Idade ⁣
⭐Religião - mas a minha marca não é religiosa, então coloque ateu⁣ ou outra denominação
⭐Hábitos diários ⁣
⭐Qualidades ⁣
⭐Defeitos ⁣
⭐Politica - mas não é politica, coloque apartidária ⁣
⭐Como ela é com a família - quer zona de guerra maior que essa?⁣
⭐O que ela detesta?⁣
⭐Manias⁣
⭐Saúde ⁣
⭐Hábitos saudáveis e não saudáveis ⁣
⭐Marcas de consumo prediletas⁣
⭐Marcas de entretenimento ⁣
⭐Marcas de informação ⁣

Uso estes mesmos tópicos para trabalhar as Brand Personas dos meus clientes, eles ajudam a construir um ser humano real e a partir daí entendermos quem são nossos clientes potenciais.

Seguindo essa linha, você percebe que diversos gostos pessoais, como marcas favoritas, nascem a partir da personalidade, como, por exemplo, o lado político determina as mídias que a pessoa vai acompanhar. 

A Brand Persona é a persona da marca, é como se você a personificasse, desse vida a ela. A humanização de uma marca não é baseada em perfeição, é baseada em realidade. E a realidade, amigos, não é nem de longe perfeita.

 

Gostou deste artigo? Deixe seu comentário 👇

 

Comunidade Marketing de Gentileza
Ariane Salomão
Ariane Salomão Seguir

Publicitária, pós-graduanda em Influência Digital - Conteúdo e Estratégia. Hoje, busco por meio da educação, ensinar e simplificar os processos de criação de conteúdo. Também, ajudo empresas a se posicionarem e se tornarem relevantes no on e off.

Ler conteúdo completo
Indicados para você