[ editar artigo]

Como o Slow Living pode ajudar o seu marketing?

Como o Slow Living pode ajudar o seu marketing?

Acredito que quando a gente fala em empreender, também estamos falando sobre ensinar, de enriquecer - não só materialmente  - por meio da boa informação. E o marketing colabora com isso, muito mais que vender, auxilia em informar, a transmitir mais identidade, entregar valores, essência, transparecer porque será válido investir em uma marca, produto ou serviço.

Foi com o Marketing de Gentileza que iniciei a minha jornada para encontrar e adotar um posicionamento que eu acredito, que me representa. Em 2018, com a criação do meu movimento Comunicando Virtudes que inspira a expressão da nossa real essência para conquistarmos conexões autênticas no ambiente virtual, eu já estava despertando para o Slow Living e vivenciando, sem total consciência, o Slow Marketing, mas ainda não conhecia termos e nem tinha definições tão claras.

“O movimento slow nos convida a desfrutar os momentos com base no bem viver, na leveza e no respeito integral: a nós mesmos, aos outros, ao meio ambiente, às raízes culturais, ao resgate de valores. Priorizar um equilíbrio com os avanços tecnológicos, uma vida com mais harmonia e em contato com nosso interior. Falamos em respeitar o tempo e em desfrutar nossos caminhos sem a necessidade de acumular bens materiais como símbolo de êxito. Falamos de saúde integral conectada à vida real, beleza saudável, autoconhecimento, consciência”, Bruna Miranda - escritora, jornalista e empreendedora criadora do Review.

No seu workshop Slow para Transformar, ela vem contribuindo para o meu resgate sobre o tempo e a liberdade, e auxiliado na ressignificação do consumo, trabalho e criação do que mais importa, e em sintonia com a minha verdade. Sigo mais confiante que as inovações e transições do mundo não precisam caminhar para os excessos.

Uma vida slow é um constante movimento, em diferentes cenários: Slow Food | Beer, Wine... Slow Fashion, Slow Money, Slow Books, Slow Library, Slow Reading, Slow Beauty, Slow Home, Slow Sex, Slow Design, Slow Travel, Slow Cities, Slow Marketing…

“Transformar não para ser outra pessoa, mas para (voltar a) ser você mesmo. Aliviando medos, pré-conceitos, julgamentos, a necessidade de agradar e pertencer a qualquer custo... Para a busca da verdade, da transparência e da essência. Para a melhor expressão da nossa identidade e criatividade. Para a coerência. Para deixarmos de lado, dentro de nós mesmos, os velhos paradigmas de uma educação ultrapassada, de uma mídia parcial, de uma busca por valores distorcidos. E para que possamos expressar o nosso melhor, de um jeito leve e significativo, no que fazemos e oferecemos”, ressalta Bruna.

Tenho procurado identificar e eliminar - no meu ritmo - o que não me serve mais e o que consome a minha energia de forma improdutiva, como hábitos, pensamentos, conexões... Sem esse autocuidado não podemos irradiar o nosso melhor, você concorda? 

Autor do livro 'Devagar', o escritor escocês e divulgador do slow moviment pelo mundo, Carl Honoré acredita que uma nova e silenciosa revolução vem acontecendo, mesmo que de forma slow. Abordando a nossa intensa relação de pressa com o tempo, ele atenta para as conseqüências e charadas de viver nesta cultura acelerada, criação nossa.

Sabemos que pagamos um preço alto e que precisamos encontrar uma forma produtiva e saudável de viver e socializar. Com o Slow Marketing, a direção é para  uma comunicação mais consciente, inspiradora, com propósito e sem pressa. O que faz sentido e de fato eu consigo fazer? Escolhas, pois fica tudo melhor quando alinhadas com seu ritmo e estilo. 

Dentre outros princípios do Slow que venho reconhecendo é o da colaboração, de comunidade. Existe espaço para todos, e podemos ajudar a nossa área de atuação a ser melhor, com mensagens positivas, sem entrar na escassez, agressividade, dor que afeta a outra pessoa. A sugestão é para promovermos a leveza, explicar o que oferecemos de um lugar saudável, mostrando os resultados que podem ser atingidos, e não o que pode acontecer com a falta. Deixar de focar na negatividade como motivadora da compra é também contribuir para a redução do consumo por impulso, inscosciente.

Como consultora de marketing digital e jornalista-produtora de conteúdo há 15 anos, com regularidade ouço essas duas perguntas: “com que frequência devo postar e em quais redes sociais preciso estar?” Os objetivos são diferentes para cada profissional ou marca. Com essa clareza sobre o negócio, eu sugiro você não permitir que essas dúvidas sejam um bloqueio que gere ansiedade e que você utilize a mídia(ou as) que faça(m) sentido para o seu momento, onde os potenciais clientes possam estar e que você sinta-se à vontade para comunicar. 

Estamos na era digital, a sua presença on-line é fundamental e existem muitas formas e formatos para isso. E não, necessariamente, precisa ser com o marketing que você vê por aí, que não te encanta e nem gera uma conexão genuína. Simplicidade, respeito, honestidade e sabedoria são essências do Slow Marketing. Esse é o cuidado que um empreendedor deve ter. Precisamos agarrar essas virtudes para empreender!

Espero ter ajudado compartilhando esse artigo por aqui. Se você gostou, compartilhe também com a sua rede e ajude a propagar um marketing com mais virtudes. 

Comunidade Marketing de Gentileza
Rhaiane Sodré
Rhaiane Sodré Seguir

Sensível saltitante pelo mundo, jornalista, publicitária e criadora do movimento Comunicando Virtudes. Apaixonada pelo marketing consciente, valorizo essência, verdade, gentileza e o respeito pelo ritmo de cada um. #ComunicandoVirtudes

Ler conteúdo completo
Indicados para você