[ editar artigo]

Clubhouse: 4 oportunidades e 1 risco da nova rede social onde a sua voz é a protagonista

Clubhouse: 4 oportunidades e 1 risco da nova rede social onde a sua voz é a protagonista

O Clubhouse já chegou aos seus ouvidos? 

Club Love GIF by Chris TDL
A nova rede social está na boca do povo de marketing e tecnologia. 

Seu quê de exclusividade pode ter a ver com isso. Afinal, você só entra se receber o convite de alguém que já está lá. E sem iPhone, nada feito. O app ainda não está disponível para o sistema operacional Android.

Mas o que parece explicar o buzz sobre a plataforma criada em abril de 2020 é a presença de celebridades do empreendedorismo e entretenimento.

No final de janeiro deste ano, o bate-papo entre o bilionário tech Elon Musk e o CEO da corretora online Robinhood, Vlad Tenev, no Clubhouse foi notícia. 

Celebridades como Drake e Oprah Winfrey também estão lá.

Ou seja: não estamos falando de qualquer plataforma.

oprah winfrey GIF
Por isso, quando uma novidade arrebata assim o mundo digital, a gente tem que parar e pensar nas oportunidades, mas também nos riscos.

É nessa hora que eu ligo o radar para entender onde as pessoas entram na história.

E aí, mesmo que ainda leve um tempo para a rede se popularizar, já vale considerar, pelo menos, quatro oportunidades e um risco.

Vê se você concorda:

Oportunidades

#1 Lives mais casuais e sem vídeo

Na prática, o Clubhouse é um app de conversas em tempo real organizado por salas de bate-papo criadas a partir dos interesses das pessoas. Nelas, só vale usar a sua voz (sem imagem, sem caixa de comentário, sem like)

Ou seja: os eventos na plataforma são lives só de áudio. As pessoas vão poder falar de qualquer lugar meeeeesmo, sem se preocuparem com cabelo, roupa ou imagem de background. 
 

#2 Intensa troca de conhecimento

As comunidades estão no centro do Clubhouse. Com salas de bate-papo organizadas a partir de interesses, fica fácil encontrar a “sua turma”. Assim, conversas nichadas e, potencialmente, mais especializadas podem render uma rica troca de conhecimento entre pessoas apaixonadas pelos mesmos temas.

Sabe aquela sensação boa de pertencimento? Então, o Clubhouse tem tudo para oferecer essa experiência.
 

#3 Conversas de mesa de bar à prova de coronavírus 

Se você, assim como eu, tem tido o privilégio e o cuidado de seguir firme no isolamento social, deve estar sentindo falta de conhecer gente nova e aproveitar o tempo para "jogar conversa fora" sobre o último episódio da sua série favorita, por exemplo.

Talvez, a gente encontre na plataforma um quebra-galho para isso até que a vacina chegue a todos. 
 

#4 Super networking 3.0

Ao vivo. Na lata. Sabe aquela conversa com profissionais que você admira? Agora, é possível que ela aconteça em uma das salas de bate-papo do Clubhouse. 

Ok. Maravilha! Até aí tudo vai muito bem.
 

Mas, e o risco? 

Não sei vai concordar, mas a minha preocupação é a seguinte:

Disseminação de desinformação e discursos de ódio 

Sem armazenar o histórico das conversas e permitindo a criação de salas privadas de bate-papo, a plataforma parece ser um terreno fértil para interessados em propagar fake news e amplificar discursos de ódio.

Infelizmente, em seu pouco tempo de vida, a rede social já recebeu denúncia de situações do tipo, sendo cobrada a assumir uma posição mais dura diante do problema. 

Em resumo: ao que tudo indica, ainda vamos ouvir e falar muito dessa novidade.
 

🗣 Estou curiosa para saber o que você está achando de tudo isso! Na sua opinião, o Clubhouse traz mais oportunidades ou riscos para as conversas no digital? Conta aqui.  

 


Foto: Canva.com / GIF: Giphy.com 

Comunidade Marketing de Gentileza
Ana Carollina Leitão
Ana Carollina Leitão Seguir

Seja bem-vinda/vindo! Compartilho aqui saberes pluriversais para uma comunicação pensada com o coração. Trago vivências e aprendizados para ajudar quem quer entender melhor sobre gente e comportamento (incluindo aí você mesmo!). Vamos conversar?

Ler conteúdo completo
Indicados para você