[ editar artigo]

A gentileza de aceitar o outro

A gentileza de aceitar o outro

Não foi rara às vezes que vivenciei um pai e/ou mãe passarem pelo luto do filho não idealizado.

Isso pode ocorrer de muitas formas.

Ele pode chegar precocemente (parto prematuro) e passar meses em uma unidade de terapia intensiva. Neste contexto, é uma lista de cuidados que não fazia parte do planejamento de um pré-natal.

Uma doença grave e rara onde mesmo os profissionais de saúde não estão habilitados para orientar e ajudar. 

E, alguns procedimentos médicos podem trazer esse mesmo sentimento. 

“Por que meu filho preciso disso para viver?”


Essa boneca representa a vida de muitas crianças

Ela está com uma sonda de alimentação que se chama gastrostomia.

Quando os pais recebem a notícia sobre a necessidade deste procedimento, nem sempre é bem compreendida. É o medo, angústia, termos técnicos e um novo mundo que se abre.

O procedimento é uma abertura no estômago que é exteriorizada na pele, realizada durante uma cirurgia, para administrar alimentos e líquidos.

É indicado quando não é possível alimentar a criança pela boca por um período superior a um mês.

São várias as indicações da gastrostomia, uma das mais comuns é a disfagia, situação em que a criança tem dificuldade para engolir, com engasgos e aspirações de saliva e alimentos para ao pulmão.

É comum crianças com doenças raras necessitarem de uma gastrostomia por um período transitório ou permanente.

As orientações de enfermagem nessa hora é fundamental para diminuir risco de infecção e treinar a família na administração da alimentação pela sonda.

Se você conhece alguém que usa esse tipo de sonda, não precisa ter dó ou medo. É um procedimento que traz qualidade de vida e anos de vida às pessoas que necessitam.

Ser gentil é também aceitar cada um do jeito que ele é. Com suas necessidades específicas, seja uma sonda gástrica, intestinal ou uma prótese. Observo um estranhamento social quando essas pessoas estão entre nós. Você também já percebeu isso? Compartilhe comigo sua opinião.

Fonte: Sociedade de Pediatria de São Paulo.

 

Comunidade Marketing de Gentileza
Geisa Luz
Geisa Luz Seguir

Carrego a missão de desenvolver ideias e ações em saúde pública, no âmbito das doenças raras, com informações confiáveis para impactar a sociedade e salvar vidas. Enfermeira, consultora em doenças raras e graves e palestrante.

Ler conteúdo completo
Indicados para você